O NOVO NASCIMENTO

            

O novo nascimento é o primeiro estágio da vida cristã. Como disse Jesus, é necessário um pecador ser regenerado ou nascido de novo para ver e entrar no Reino de Deus: “Disse Jesus: Se alguém não nascer de novo não pode ver o Reino de Deus. Se alguém não nascer da água e do Espírito não pode entrar no Reino de Deus” João 3.3, 5. Nascer de novo não é batismo nas águas, ou sair por milagre de algum perigo de morte, mas ser feito por Deus uma nova criatura em Cristo Jesus: " Pois nem a circuncisão nem a incircuncisão é coisa alguma, mas sim o ser uma nova criatura" Gálatas 6.15. Tudo começa pelo nascimento, assim também a vida espiritual começa pelo novo nascimento. Todo homem nasce numa geração corrupta e perversa e não há como melhorar essa raça, só criando novamente: " Ninguém cose remendo de pano novo em vestido velho; do contrário o remendo novo tira parte do velho, e torna-se maior a rotura" Marcos 2.21..

O novo nascimento também não é uma obra que o homem pode produzir. Como no nascimento natural nada fizemos para nascer, mas foi uma vontade de nossos pais, no novo nascimento não podemos fazer nada, pois ela foi uma obra exclusiva da vontade soberana de Deus: "Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da decisão humana (versão internacional), mas da vontade de Deus" João 1.13. "Segundo a sua própria vontade, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como que primícias das suas criaturas" Tiago 1.18.

Muitos esperam que Deus faça neles esse novo nascimento, mas o novo nascimento não é algo que Deus irá fazer agora, Ele já realizou esta obra em Cristo. O novo nascimento é realizado pelo Espírito e pela Palavra de Deus mediante a fé na obra realizada por Cristo na cruz. Ninguém pode nascer, sem primeiro morrer: “Insensato! o que tu semeias não nasce, se primeiro não morrer” I Coríntios 15.36. Na Sua morte morremos juntamente com Ele e na Sua ressurreição, Deus nos fez nascer de novo para uma viva esperança: “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua grande misericórdia, nos (fez nascer de novo) regenerou para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos” I Pedro 1.3.

Vamos ver verso a verso o que Jesus fala do novo nascimento na passagem de João 3 do verso 3 ao verso 15 a Nicodemus: “Respondeu-lhe Jesus: Em verdade, em verdade te digo que se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus. Perguntou-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? porventura pode tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer? Jesus respondeu: Em verdade, em verdade te digo que se alguém não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito. Não te admires de eu te haver dito: Necessário vos é nascer de novo. O vento sopra onde quer, e ouves a sua voz; mas não sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito. Perguntou-lhe Nicodemos: Como pode ser isto? Respondeu-lhe Jesus: Tu és mestre em Israel, e não entendes estas coisas? Em verdade, em verdade te digo que nós dizemos o que sabemos e testemunhamos o que temos visto; e não aceitais o nosso testemunho! Se vos falei de coisas terrestres, e não credes, como crereis, se vos falar das celestiais? Ora, ninguém subiu ao céu, senão o que desceu do céu, o Filho do homem. E como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado; para que todo aquele que nele crê tenha a vida eterna”.

Devemos entender que Jesus quando fala a Nicodemus, Ele fala antes de sua morte e ressurreição, por isso, a Nicodemus ele lhe fala de algo que ainda iria acontecer, mas a nós, Deus nos revela algo consumado. Jesus no verso 14 não nos deixa duvidas quando diz aonde iria realizar o nosso novo nascimento, quando ele fosse levantado da terra: “E eu, quando for levantado da terra, todos atrairei a mim. Isto dizia, significando de que modo havia de morrer” João 12.32-33.

Jesus no verso 3 estava não cobrando de nós algo que fosse necessário nós fazermos, mas de algo que Ele iria realizar. Quando Ele diz: “Se alguém não nascer de novo”, não está dizendo que isto é uma obra humana, algo que o homem deva fazer para ver o Reino de Deus, mas uma obra que se Ele não realiza-se, ninguém poderia ver o Reino de Deus: “Em verdade, em verdade vos digo: Se o grão de trigo caindo na terra não morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto.” João 12.24. Jesus sabia que se Ele não morresse, ficaria só, mas se morresse, muitos iriam nascer dEle. Ele era só, o Filho unigênito. Na sua morte o Filho unigênito morreu, Deus ficou sem nenhum filho por três dias, mas na ressurreição de Jesus, Deus declarou Jesus filho de Deus em poder (Romanos 1.4), e o gerou de novo como o Filho primogênito, agora não só, mas com muitos irmãos (Romanos 8.30-31). Jesus tinha que se entregar para ser sacrificado para levar muitos filhos à glória: “Porque convinha que aquele, para quem são todas as coisas, e por meio de quem tudo existe, em trazendo muitos filhos à glória, aperfeiçoasse pelos sofrimentos o autor da salvação deles” Hebreus 2.10.

No verso 4 de João 3, Nicodemus não podia entender esse nascimento espiritual, tanto é assim que ele só via uma possibilidade, voltar ao ventre materno e nascer de novo, mas Jesus lhe disse no verso 6, que se seu nascimento fosse novamente na carne, não mudaria nada, ele continuaria sendo carne, ele continuaria trazendo a imagem do que é terreno, mas o que nasce do Espírito é espiritual, uma nova criatura, nascido não da carne, mas do alto, de Deus, de um mundo celestial, à imagem do celestial: “Assim também está escrito: O primeiro homem, Adão, tornou-se alma vivente; o último Adão, espírito vivificante. Mas não é primeiro o espiritual, senão o natural; depois o espiritual. O primeiro homem, sendo da terra, é terreno; o segundo homem é do céu. Qual o terreno, tais também os terrenos; e, qual o celestial, tais também os celestiais. E, assim como trouxemos a imagem do terreno, traremos também a imagem do celestial” I Coríntios 15.45-49. Não é possível nascer primeiro espiritual, mas sim natural, depois espiritual, e assim foi. Nascemos primeiramente em Adão e trouxemos a sua natureza, mas morremos no último Adão, Cristo. Agora nascemos de novo no espiritual e trazemos neste novo nascimento a sua vida, a sua natureza divina.

No verso 8 Jesus ensina que o novo nascimento na sua morte e ressurreição iria se consumar, mas o nascimento da Palavra e do Espírito não pode ser explicado, não pode ser ensinado, não há métodos para se chegar a ele, porque é um mistério de Deus. O novo nascimento é o mistério inexplicável de Cristo em nós, e que nos traz por Ele, uma esperança da glória (Colossenses 1.26-27): “Disse também: O reino de Deus é assim como se um homem lançasse semente a terra, e dormisse e se levantasse de noite e de dia, e a semente brotasse e crescesse, sem ele saber como” Marcos 4.26-27. Quem abre a madre de nossa mãe, a Jerusalém que é de cima, e que gera filhos da promessa é Deus. Ele é o único que pode fazer nascer (Isaías 66.9, Gálatas 4.25). Esse nascimento do Espírito é para os herdeiros da promessa, os filhos de Deus: “Isto é, não são os filhos da carne que são filhos de Deus; mas os filhos da promessa são contados como descendência” Romanos 9.8. “E, porque sois filhos, Deus enviou aos nossos corações o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai. Portanto já não és mais servo, mas filho; e se és filho, és também herdeiro por Deus” Gálatas 4.6-7. Podemos saber do nosso novo nascimento em Cristo, mas a letra mata é o Espírito que vivifica (II Coríntios 3.6. Se não houver o nascimento pela Palavra e pelo Espírito ninguém pode entrar no Reino de Deus. O Reino de Deus é Cristo em nós. Cristo em nós é a nova vida.

O novo nascimento nos faz ver o Reino de Deus que é a própria pessoa de Jesus Cristo em nós: “Sendo Jesus interrogado pelos fariseus sobre quando viria o reino de Deus, respondeu-lhes: O reino de Deus não vem com aparência exterior; nem dirão: Ei-lo aqui! ou: Ei-lo ali! pois o reino de Deus está dentro de vós” Lucas 17.20-21. É somente através dEle que podemos entrar no seu Reino. Este Reino como pudemos ver em Lucas 17.21, não é um lugar, mas o próprio Jesus, e quem está em Cristo é uma nova criatura, as coisas velhas já passaram, eis que tudo se faz novo (II Cor 5.17). O novo nascimento é realizado em nós como Jesus explica, pela água que é o símbolo da Palavra, e pelo Espírito que é o agente do novo nascimento. Tudo foi criado pela Palavra de Deus (Hebreus 11.3), também o novo nascido é gerado pela Palavra de Deus: "tendo renascido não de semente corruptível (sêmen do homem), mas de incorruptível (sêmen de Deus), pela Palavra de Deus, que é viva e que permanece para sempre" I Pedro 1.23. “Segundo a sua própria vontade, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como que primícias das suas criaturas” Tiago 1.18. Uma vez lançada a Palavra de Deus, ela é viva e eficaz, e mais penetrante do que qualquer espada de dois gumes, penetra até a divisão de alma e de espírito, sendo apta para discernir os pensamentos e as intenções do coração (Hebreus 4.12). É aqui que o Espírito entra agindo sobre a Palavra de Deus, efetuando o que apraz a Deus, e efetuando cheiro de morte para morte, ou cheiro de vida para vida (II Cor 2.16) e para essas coisas ninguém é idôneo. Isto confirma o que disse Jesus em João 6.63: "O Espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita (não há nada no homem carnal que possa ser usado no seu novo nascimento, nem mesmo a sua vontade, pois a sua vontade está ligada a sua natureza perversa); as palavras que eu vos tenho dito são Espírito e são vida".

No verso 9 Nicodemus, um homem instruído na lei, que sempre ouviu em sua religião que o homem tem que fazer alguma coisa para ser salvo, perguntou novamente o que ele poderia fazer para nascer de novo. Então Jesus lhe ensina sobre o novo nascimento nos versos 14 e 15, por uma passagem que ele conhecia muito bem, o de Números 21.4-9, sobre as serpentes abrasadoras. O povo naquela ocasião murmurou contra Deus e Ele enviou serpentes abrasadoras que morderam o povo e foram envenenados. O povo se arrependeu e pediu a Moisés que intercedesse por eles. Moisés foi e orou a Deus, e Ele mandou fazer uma serpente de bronze e coloca-la numa haste para que todo aquele que olhasse para a serpente de bronze vivesse. Moisés fez a serpente e levantou-a numa haste e todo aquele que olhou para a serpente viveu. Jesus estava comparando ele com a serpente de bronze. Ele seria levantado da terra e Ele foi colocado por Deus naquela cruz para que todo aquele que olhar para Ele viva.

O povo judeu tinha o veneno da serpente neles, e o homem também: “quem comete pecado é do Diabo; porque o Diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para destruir as obras do Diabo” I João 3.8, mas Deus proveu para eles uma serpente de bronze levantada numa haste, e para nós Deus proveu o Seu Filho Jesus levantado-o da terra naquela cruz. Em Cristo crucificado vemos a nossa morte, a morte do pecador, e tragada foi a morte na vitória porque Jesus ressuscitou. Ele ficou livre dos aguilhões da morte e nos libertou também. Nascemos de novo pela sua ressurreição para a vida eterna.

O novo nascimento se dá em três fases como diz Deus: “Eu, eu sou o Senhor, e fora de mim não há salvador. Eu anunciei, e eu salvei, e eu o mostrei; e deus estranho não houve entre vós; portanto vós sois as minhas testemunhas, diz o Senhor” Isaías 43.11-12. A primeira fase do novo nascimento foi quando Deus anunciou esta salvação, tanto é assim, que os fiéis que creram antes da vinda de Jesus, criam no seu novo nascimento na promessa de Deus em Cristo: “Todos estes morreram na fé, sem terem alcançado as promessas; mas tendo-as visto e saudado, de longe, confessaram que eram estrangeiros e peregrinos na terra” Hebreus 11.13. Deus tinha anunciado essa salvação. Jesus era a promessa de Deus aos homens e esta promessa se fez carne: “E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai” João 1.14.

A segunda fase se deu na vinda de Jesus, pois Deus disse: “Eu salvei”. Ele realizou essa salvação, esse novo nascimento erguendo Jesus da terra naquela cruz. Jesus nos atraiu a si nos fazendo morrer com Ele e Deus nos fez nascer de novo para uma viva esperança pela ressurreição de Jesus dentre os mortos (I Pedro 1.3). A terceira fase é: “eu os fiz ouvir”. Deus agora nos gera de novo pela água e pelo Espírito como disse Jesus em João 3.5. Hoje, como Deus nos diz, é o dia da salvação: “E nós, cooperando com ele, também vos exortamos a que não recebais a graça de Deus em vão; porque diz: No tempo aceitável te escutei e no dia da salvação te socorri; eis aqui agora o tempo aceitável, eis aqui agora o dia da salvação” II Coríntios 6.1-2. Hoje Ele nos faz ouvir a Sua Palavra, a água purificadora e nos vivifica pelo seu Espírito: “Mas quando apareceu a bondade de Deus, nosso Salvador e o seu amor para com os homens, não em virtude de obras de justiça que nós houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou mediante o lavar da regeneração e renovação pelo Espírito Santo, que ele derramou abundantemente sobre nós por Jesus Cristo, nosso Salvador” Tito 3.4-6. “Então aspergirei água pura sobre vós, e ficareis purificados; de todas as vossas imundícias, e de todos os vossos ídolos, vos purificarei. Também vos darei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei da vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne. Ainda porei dentro de vós o meu Espírito, e farei que andeis nos meus estatutos, e guardeis as minhas ordenanças, e as observeis” Ezequiel 36.25-27.

Deus anunciou esta salvação, Ele realizou-a e agora Ele nos faz ouvir que nascemos de novo em Jesus Cristo pela Sua Palavra: “Segundo a sua própria vontade, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como que primícias das suas criaturas” Tiago 1.17. “tendo renascido, não de semente corruptível, mas de incorruptível, pela palavra de Deus, a qual vive e permanece” I Pedro 1.23. “Logo a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Cristo” Romanos 10.17, e quem vivifica esta Palavra é o Espírito: “O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos tenho dito são espírito e são vida” João 6.63.

Uma vez que Deus faz ouvir a sua salvação, Ele a torna vida em nós pelo seu Espírito: “O céu e a terra tomo hoje por testemunhas contra ti de que te pus diante de ti a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência, amando ao Senhor teu Deus, obedecendo à sua voz, e te apegando a ele; pois ele é a tua vida... Porque esta palavra não vos é vã, mas é a vossa vida” Deuteronômio 30.19-20; 32.47. A Palavra sem o Espírito mata, mas o ministério do Espírito pela Palavra é a regeneração de pecadores: “o qual também nos capacitou para sermos ministros dum novo pacto, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata, mas o espírito vivifica... Ora, se o ministério da morte, gravado com letras em pedras, veio em glória, de maneira que os filhos de Israel não podiam fixar os olhos no rosto de Moisés, por causa da glória do seu rosto, a qual se estava desvanecendo, como não será de maior glória o ministério do espírito?” II Coríntios 3.6-8. “Mas, a todos quantos o receberam, aos que crêem no seu nome, deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do varão, mas de Deus” João 1.12-13.

Deus compara a pregação sem a vivificação do Espírito como um vale de ossos secos em Ezequiel 37. "Veio sobre mim a mão do Senhor; e ele me levou no Espírito do Senhor, e me pôs no meio do vale que estava cheio de ossos; e me fez andar ao redor deles. E eis que eram muito numerosos sobre a face do vale; e eis que estavam sequíssimos. Ele me perguntou: Filho do homem, poderão viver estes ossos? Respondi: Senhor Deus, tu o sabes. Então me disse: Profetiza sobre estes ossos, e dize-lhes: Ossos secos, ouvi a palavra do Senhor. Assim diz o Senhor Deus a estes ossos: Eis que vou fazer entrar em vós o espírito da vida, e vivereis. E porei nervos sobre vós, e farei crescer carne sobre vós, e sobre vos estenderei pele, e porei em vós o espírito, e vivereis. Então sabereis que eu sou o Senhor. Profetizei, pois, como se me deu ordem. Ora enquanto eu profetizava, houve um ruído; e eis que se fez um rebuliço, e os ossos se achegaram, osso ao seu osso. E olhei, e eis que vieram nervos sobre eles, e cresceu a carne, e estendeu-se a pele sobre eles por cima; mas não havia neles espírito. Então ele me disse: Profetiza ao espírito, profetiza, ó filho do homem, e dize ao espírito: Assim diz o Senhor Deus: Vem dos quatro ventos, ó espírito, e assopra sobre estes mortos, para que vivam. Profetizei, pois, como ele me ordenara; então o espírito entrou neles e viveram, e se puseram em pé, um exército grande em extremo” Ezequiel 37.1-10.

O novo nascimento é uma mudança radical, realizada pelo Espírito de Deus no interior de um pecador, retirando o homem velho, a natureza pecaminosa, o coração de pedra, e gerando Cristo em seu interior, com uma natureza divina, santa, e irrepreensível. Todas estas promessas estão na Palavra de Deus, e é por elas e pelo Espírito que nos tornamos co-participante desta natureza divina em Cristo Jesus: "pelas quais Ele nos tem dado as suas preciosas e grandíssimas promessas, para que por elas vos torneis co-participantes da natureza divina, que pela concupiscência há no mundo" II Pedro 1.3.

O nascimento do Espírito nos livra da escravidão do pecado, para a glória dos filhos de Deus em santidade: “Aquele que é nascido de Deus não peca; porque a divina semente permanece nele, e não pode pecar, porque é nascido de Deus” I João 3.9. Tudo o que se conhece de novo nascimento e que exclui uma vida de santidade pela Pessoa de Cristo no interior do homem é falso. Um exemplo: Se novo nascimento fosse batismo nas águas, Jesus não precisava vir a este mundo e sofrer a pena do pecador, pois, era só batizar as pessoas de todo mundo nas águas e elas seriam salvas. Novo nascimento é o Espírito gerando em nós a divina semente, a Palavra viva, Cristo: “Pois eu pela lei morri para a lei, a fim de viver para Deus. Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé no filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim” Gálatas 2.19-20.

Temos encontrado muitas pessoas enganadas com seu novo nascimento, achando que participar de uma igreja, ser batizada, ter algum cargo é o suficiente. Alguns até conhecem a letra da Palavra da cruz, mas como Jesus disse, é necessário nascer da água e do Espírito. Novo nascimento não é concordância com a doutrina, mas uma experiência real com a Pessoa de Jesus: "não vivo mais eu, mas Cristo vive em mim" Gálatas 2.20. Novo nascimento é a mudança de uma vida escrava do pecado, de imagem e semelhança maligna, para uma vida espiritual e santa, isenta do domínio e do amor ao pecado, e que produz frutos pacíficos de justiça, operados pelo amor de Deus e à santidade procedentes da verdade por Jesus Cristo, executado pelo Espírito de Deus. Sem a presença de Cristo, ninguém é nascido do Espírito: “Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Mas, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele” Romanos 8.9. “Examinai-vos a vós mesmos se permaneceis na fé; provai-vos a vós mesmos. Ou não sabeis quanto a vós mesmos, que Jesus Cristo está em vós? Se não é que já estais reprovados” II Coríntios 13.5. “E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está em seu Filho. Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida” I João 5.11-12.

Novo nascimento é uma obra totalmente de Deus. O homem não tem participação nesse novo nascimento. Deus é quem anunciou, Ele é quem salvou e é Ele quem nos faz ouvir, fora dEle não há salvação: “O ouvido que ouve, e o olho que vê, o Senhor os fez a ambos” Provérbios 20.12. “Fui achado pelos que não me buscavam, manifestei-me aos que por mim não perguntavam” Romanos 10.20. A palavra "transformar" de II Coríntios 3.18, vem do verbo grego "METAMORFÓS". "META" significa mudança, e "MORFÓS" forma interior ou de moral. O verbo está no indicativo e na voz passiva, isto é, o homem não pode efetuar esta mudança, pois, esta mudança, não se refere a uma mudança de estética, mas de conteúdo e de moral. Em suma, se alguém verdadeiramente nasceu de novo, este novo nascimento se deu pela santificação do Espírito e fé na verdade: “Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor” II Coríntios 3.18. “Mas nós devemos sempre dar graças a Deus por vós, irmãos, amados do Senhor, porque Deus vos escolheu desde o princípio para a santificação do espírito e a fé na verdade” II Tessalonicenses 2.13.

Como vimos, o novo nascimento é uma obra de Deus executada pela Sua Palavra e pelo Seu Espírito: "Ora, Àquele que é poderoso para vos confirmar, segundo o meu evangelho e a pregação de Jesus Cristo, conforme a revelação do mistério guardado em silêncio desde os tempos eternos, mas agora manifesto e, por meio das Escrituras proféticas, segundo o mandamento do Deus eterno, dado a conhecer a todas as nações para obediência da fé" Romanos 16.25-26, e aqueles que crêem nela, embora tenham sidos servos do pecado por toda a vida, obedecem de coração à forma de doutrina a que são entregues (Romanos 6.17). A regeneração não vem pelo conhecimento da doutrina do novo nascimento, e nem é algo que leva tempo para acontecer. Hoje é o dia como Deus disse. O exemplo disso é a serpente levantada no deserto. Todo aquele que olhava para a serpente ficava curado imediatamente, em Jesus Cristo é assim também. Todo aquele que olhar para Ele verá o seu novo nascimento consumado: “Olhai para mim, e sereis salvos, vós, todos os confins da terra; porque eu sou Deus, e não há outro” Isaías 45.22.

O que Deus nos faz conhecer em primeiro lugar, é que não há novo nascimento sem morte, e não pode haver morte sem a Pessoa de Jesus. A maior dificuldade que temos encontrado nas pessoas, é que elas olham para o seu novo nascimento agora. Esperam e até oram que Deus os façam nascer de novo, sendo que ele já aconteceu a quase 2.000 anos atrás, até mesmo antes da fundação do mundo pela promessa de Deus. Já morremos e ressuscitamos em Jesus Cristo. A obra não irá acontecer, ela já aconteceu, está no passado, e é assim que a Palavra de Deus nos apresenta: "sabendo isto, que o nosso homem velho foi com Ele crucificado, para que o corpo do pecado fosse desfeito, a fim de que não servíssemos ao pecado como escravos" Romanos 6.6. "Assim também vós meus irmãos, fostes mortos para à lei pelo corpo de Cristo, para que sejais doutro, daquele que ressurgiu dentre os mortos a fim de que demos frutos para Deus" Romanos 7.4. "porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus" Colossenses 3.3. "Ou, porventura, ignorais que todos quantos fomos batizados em Cristo Jesus, fomos batizados em sua morte?" Romanos 6.3. Esta morte já se deu quando Jesus morreu naquela cruz. Deus não tem obra nenhuma para fazer em nós, tudo o que Ele nos deu está em Cristo, está consumado.

É maravilhoso que este Deus misericordioso já tenha feito esta obra por nós. É pela graça que somos salvos, por meio da fé, e isto não vem de nós, é dom de Deus; não vem de obras humanas para que ninguém se glorie (Efésios 2.8-9). Jesus disse: "Tudo está consumado" (João 19.30). Sabe o que isto significa, que não há mais nada a ser feito, tudo está feito, tudo está pronto, é só crer. Até mesmo a fé nos é dada por Deus, devemos apenas fazer como aquele pai do menino epiléptico: "Creio! Ajuda a minha incredulidade" Marcos 9.24. Quem nEle crer não será confundido (Romanos 10.11).

Agora esta Palavra de Deus vez nos lavar de toda a nossa iniqüidade, e o Espírito vem nos gerar em uma nova criatura, a imagem de Jesus, com a Sua presença em nós: “Do mesmo modo também o Espírito nos ajuda na fraqueza; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inexprimíveis. E aquele que esquadrinha os corações sabe qual é a intenção do Espírito: que ele, segundo a vontade de Deus, intercede pelos santos. E sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. Porque os que dantes conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos; e aos que predestinou, a estes também chamou; e aos que chamou, a estes também justificou; e aos que justificou, a estes também glorificou” Romanos 8.26-30. “Pelo que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” II Coríntios 5.17.

A nova criatura é feitura de Jesus, criado em Cristo Jesus para as boas obras, e não mais a feitura de Adão: “Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus antes preparou para que andássemos nelas” Efésios 2.10. A característica principal de uma nova criatura, daquele que nasceu da água e do Espírito é a libertação do pecado. Quem continua no pecado, nunca viu nem conheceu Jesus Cristo (I João 3.6). O novo nascimento restitui ao homem a glória de Deus perdida com o pecado: “Porque Deus, que disse: Das trevas brilhará a luz, é quem brilhou em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus na face de Cristo. Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não da nossa parte” II Coríntios 4.6-7.

O novo nascimento é a entrada para a vida espiritual e no Reino de Deus. Ele é o início de tudo. Sem este novo nascimento ninguém pode ver o Reino de Deus e sem o nascimento no Espírito não pode entrar nesse Reino. Ele é o primeiro estágio da vida cristã, depois vem o crescimento. Lembremos da parábola da semente em Marcos 4.26-29. Primeiro foi o plantio da semente, da Palavra, depois o nascimento, depois o crescimento e por ultimo o fruto cheio de grãos, porque sem nascer ninguém pode crescer. A entrada no Reino Celestial de Jesus, como vimos anteriormente, não pode ser alcançada por força humana, mas somente pelo poder de Deus, bem como o crescimento espiritual. O novo nascimento é um ato e o crescimento é um processo de Deus até o seu complemento: "Até que todos cheguemos a unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, ao estado de homem feito, à medida da estatura da plenitude de Cristo" Efésios 4.13. “tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até o dia de Cristo Jesus” Filipenses 1.6. “E o próprio Deus de paz vos santifique completamente; e o vosso espírito, e alma e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. Fiel é o que vos chama, e ele também o fará” I Tessalonicenses 5.23-24.

Edward Burke Junior

  Retornar